quarta-feira, 24 de setembro de 2014

O TEMPO QUE CURA


Acredito que a Família é a concepção Divina para levar a cada um dos seus membros ao êxito, individualmente na vida. Seus membros são exatamente os nossos primeiros "próximos" a quem recebemos o mandamento de amar como amamos a nós mesmos.

Infelizmente porém, quando consideramos o nosso passado, nossas maiores decepções e frustrações, mágoas e não raramente, ressentimentos, esbarramos com pessoas da nossa família como causadores de algum trauma em nós ou ainda, em quem causamos algum dano. E isto parece ser explicado pelo fato de que quanto maior é a proximidade, maior a possibilidade de nos causarem dor e sentirmos danos emocionais.

Somos capazes de resistir firmemente ao mal do desconhecido, mas frequentemente caímos diante da indiferença dos próximos; nossos conhecidos, amigos, parentes.

Não importa se nos magoaram ou se ao contrário, somos nós os agentes da mágoa no nosso próximo. Ela não pode e não deve comprometer o nosso futuro. Não pode!

É absolutamente imprescindível que se deixe o passado no seu lugar: no passado.

É necessário administrar os seus sentimentos, abandonar os ressentimentos, e perdoar o passado, para poder viver um futuro próspero e pacificado.

Ninguém disse que isto é simples, e menos ainda que é fácil. Mas é preciso deixar que o passado não controle o seu presente e que não comprometa o seu futuro. E não pense que se trata de mais um texto de autoajuda, pois não é não!

DEUS É O ÚNICO QUE PODE CURAR SEU CORAÇÃO DO SEU PASSADO E LHE SARAR DAS SUAS MEMÓRIAS!

Ele criou o tempo, para que através dele, nosso presente seja curado.

Não é discurso, mas fato. ELE me curou do meu passado, modificou o meu presente e ainda por cima, reservou-me Nele, um glorioso futuro.

Através de Jesus, na ação do Seu Espírito Santo, somos transformados total e completamente. As coisas velhas ficam no passado e eis que tudo se faz novo em nós, todos os dias.

GLÓRIA A DEUS PELO NOSSO FUTURO!

Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

O ASTRONAUTA



Como todo garoto sonhador, eu também queria ser um astronauta para poder viajar entre as estrelas. A vida foi se encarregando de pousar os meus pés no chão e de trazer os meus sonhos para níveis bem mais modestos.

Com um pouco mais de tempo e pressão atmosférica sobre nós, a realidade, as convenções, as acomodações, os obstáculos e alguns acidentes de percurso, parecem ir nos consumindo grande parte da nossa imaginação e vamos abandonando muito dos nossos sonhos antigos.

O céu vai ficando muito mais distante, estranho, com muita nebulosidade. Nossas preocupações se ajustam ao padrão de agitação das cidades e a sensibilidade das nossas percepções vai se deteriorando nas lidas diárias; primeiro pelo pão e depois para acumular algum bem.

Quase sem nenhuma violência, nosso garoto sonhador vai sendo arrancado para fora da gente e junto com ele, aquela capacidade imaginativa, criativa que nos permita viajar entre as estrelas de olhos fechados ou abertos.

O astronauta não sai mais do chão, e as estrelas ficam para outra dimensão, outro tempo, para outro Céu e outra Terra.

Lá eu sei, passearei entre as estrelas do Céu de meu DEUS, pisando com meus pés e segurando entre os dedos das mãos, os meus próprios sonhos de criança.


Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

segunda-feira, 21 de julho de 2014

MENTES E CORAÇÕES ABERTOS


"Depois disse: - Enquanto ainda estava com vocês, eu disse que tinha de acontecer tudo o que estava escrito a meu respeito na Lei de Moisés, nos livros dos Profetas e nos Salmos. ENTÃO JESUS ABRIU A MENTE DELES PARA QUE ELES ENTENDESSEM AS ESCRITURAS SAGRADAS e disse: - O que está escrito é que o Messias tinha de sofrer e no terceiro dia ressuscitar. E que, em nome dele, a mensagem sobre o arrependimento e o perdão dos pecados seria anunciada a todas as nações, começando em Jerusalém." 
(Jesus de Nazaré Ressurreto - Lc. 24:44 - 47)

Admito saber muito menos do que gostaria de saber sobre as coisas para as quais o Espírito de Cristo nos revelou nos  Evangelhos.

Apesar de crer de fato e de verdade que é Ele quem nos abre os olhos do entendimento e nos dá consciência do que Ele espera de nós, e para o que nos chamou, tenho  Nele a certeza de que Seus mistérios não são para todos igualmente.

No entanto Seu Espírito é quem abre as nossas mentes na exata proporção da nossa capacidade de compreendê-lo.

Penso que a fantástica experiência dos seus discípulos na caminhada com o Messias por um curto, porém crucial período da história, vivendo, respirando, testemunhando seus sinais e prodígios, ouvindo e contemplando seus milagres, não foram suficientes para dar-lhes a exata compreensão de quem Ele realmente era.

Foi necessário que todas as coisas acontecessem como Ele lhes havia dito para que, ao comando Dele, todas aquelas experiências formassem nas suas mentes a mensagem que queria que eles levassem ao mundo.

Aqueles homens não tinham acesso a todas as informações mastigadas, sistematizadas, atualizadas que hoje temos acesso, porém e apesar delas estarem disponíveis para todos, nós também, tal como eles precisamos que o Espírito de Cristo abra as nossas mentes, o nosso entendimento para enxergarmos muito além da mensagem, mas principalmente o espírito dela.

DEUS tem levantado homens e mulheres iluminados por este Espirito, e os levado ao sabor do Vento Dele para onde quer que vão. Uns mais aperfeiçoados na doutrina dos Apóstolos e outros mais experimentados na prática, mas ambos os tipos, selecionados entre os escolhidos para levar Sua mensagem de arrependimento e salvação, para um mundo que mudou pouco na essência desde então.

Somos um único Corpo cujo Cabeça é o SENHOR. Como um corpo, temos funções específicas dentro dele. Nenhum é mais importante do que o outro em sua própria especificidade.

Precisamos uns dos outros para que a Tarefa que nos foi confiada seja levada com efeito a fato e bem-feita.

Como desejo para mim, também desejo para todos os meus irmãos e irmãs: que o Espírito de Cristo nos abra mentes e corações para compreendermos e praticarmos com entendimento a Sua Palavra. Amém.


Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

segunda-feira, 30 de junho de 2014

PÁTRIA DE CHUTEIRAS

O esperado é que seja um começo difícil em que as coisas ainda não encontraram o seu lugar, seu formato mais eficiente, e a harmonia consistente para um grupo que tenha a pretensão de ser vencedor de uma competição grandiosa, no seu próprio domicilio.

No entanto, o que estamos presenciando, é um grupo de meninos ricos, famosos, assustados com o tamanho do fardo e da responsabilidade que uma nação de maioria absoluta pobre e uma elite intelectual crítica coloca sobre seus ombros, em campo.

Suas vidas representam o sonho de consumo , o desejo de milhares de crianças e jovens que aspiram fama e fortuna advindas deste esporte que é coletivo, porém, privilegia uns poucos talentosos.

Por outro lado, o grupo junto deve totalizar em suas "canelas de ouro", algo muito próximo do valor gasto em um só estádio construído para uso da FIFA, na Copa.

Para os gestores públicos que procuram de todas as maneiras capitalizarem este momento histórico do esporte para as suas próprias promoções eleitoreiras, sequer podem imaginar que estes meninos de ouro repitam a Copa de 1950, e deixem escapar a taça, despertando a consciência adormecida do eleitor e sua frustração se reverta negativamente nas urnas deste ano.

Poderíamos fazer muitas outras elucubrações que não aparecem nas transmissões ao vivo e no olhar inexpugnável da FIFA, porém, como um torcedor apaixonado pelo bom futebol, eu vou me privar de ir mais adiante do que isto.

Quero que haja no grupo do Brasil, nesta seleção de garotos talentosos, um espírito verdadeiramente patriótico, que vá além, muito além dos interesses particulares de cada um. Que seus corações se inclinem apenas e tão somente para jogarem o melhor futebol das suas vidas e trazerem esta Copa (que já tá aqui mesmo), para o Brasil.

Assim, que mesmo que Deus não seja de fato Brasileiro, que ao menos Ele tenha simpatia pela nossa "camisa canarinho" e dê aos nossos meninos de ouro, uma porção extra de entusiasmo e amor pela "pátria de chuteiras", que somos todos nós torcedores Brasileiros.

VAI BRASIL!
  

Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

sexta-feira, 20 de junho de 2014

FALEMOS MENOS E FAÇAMOS MAIS

"Grande parte da vitalidade de uma relação consiste muito mais no respeito pelas diferenças do que no desfrute das semelhanças".

Ainda aprenderemos a viver na intimidade dos nossos relacionamentos aquilo que tão veementemente discursamos publicamente.

Ainda faremos dos nossos discursos, das nossas pregações na altura dos palanques e púlpitos, a nossa verdadeira prática no recôndito dos nossos lares, no piso real do nosso cotidiano.

Ainda teremos guardados em nossa essência, os resquícios virtuosos do que originalmente nos assemelhava ao Perfeito.

Entre o que a nossa boca fala e o que de fato está repleto o nosso coração, existe uma enorme diferença que por não nos ser desconhecida, ao aplicá-la sistematicamente nos nossos relacionamentos e na nossa vida pública, nos identifica tão somente com os fariseus e hipócritas que pretensamente combatemos, e isto nos torna cínicos.

Somos todos iguais perante Aquele que nos tendo feito para Ele, nos tem chamado para a prática do servir em amor, para testemunho dentro e fora dos limites estratégicos do conforto e acomodação.

A este "estilo de vida" pautado na gratidão e na generosidade, sem acepção do "próximo", somos mão de DEUS que socorre na necessidade, tanto os "semelhantes" quanto os diferentes.

DEUS mantém o macrocosmo funcionando harmonicamente, utilizando-se do "microcosmo" instalado no coração de carne do homem, invisível ao próprio olho humano, para alcançar os abandonados da sorte, isolados das oportunidades, desprezados do mundo, para levar-lhes concretamente, pão e palavras conforme suas necessidades.

Evangelho é uma Boa Notícia que não paralisa, mas age de Deus em nós, em favor dos outros. Assim: falemos menos e façamos mais.


Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

E SE O SAL SE TORNAR INSÍPIDO?

Não há Paz na Terra e aqui, não há trégua para homens e mulheres de bem.

"A Síria é aqui: Brasil registra a maior taxa de homicídios desde 1980!" (Fonte: GLOBO)

Países mundo afora vivem em guerras civis, com sangrentas disputas pelo poder em regimes autoritários, em que a democracia ainda não deu o ar de sua graça. É o caso da Síria. Mas quando se trata da taxa de homicídios, a sensação que fica é que a Síria é aqui mesmo. O Brasil registrou em 2012 a maior quantidade de assassinatos, tanto em termos absolutos como relativos, desde 1980:

Nada menos do que 56.337 pessoas foram mortas naquele ano, num acréscimo de 7,9% frente a 2011. A taxa de homicídios, que leva em conta o crescimento da população, também aumentou 7%, totalizando 29 vítimas fatais para cada 100 mil habitantes. É o que revela a mais nova versão do Mapa da Violência, que será lançada nas próximas semanas com dados que vão até 2012".

Vivemos uma falsa sensação de que somos uma nação pacífica, amistosa e "gentil". Nada mais enganosa do que esta "publicidade oficial" que quer passar uma imagem alienada da realidade. Estamos em guerra contra os "poderes do mal" e sinto informar aos crédulos e "avestruzes" de
plantão: estamos perdendo esta guerra.

E enquanto o governo, mídias, agências de turismo e de publicidade e a esmagadora maioria da população somente tem os olhos, pensamentos para o mundial da FIFA, o crime e a confraria dos malfeitores produz um estrago de proporções diluvianas no seio da sociedade tupiniquim. Uma enchente de crimes, atrocidades, sem qualquer preocupação com a resposta dos governos federal e estaduais. O crime, organizado ou do individuo perverso, perdeu o temor aos pífios esforços do Estado para brecar a escalada da violência em todas as áreas aqui mesmo, no país do futebol.

A sociedade tapa o sol com peneira grossa. As instituições religiosas não se preocupam com nada que ocorre fora das suas paredes caiadas, e seguem um discurso desarticulado da realidade desta dimensão da existência humana. Nossa fé nos "retira do mundo" mas por nossa omissa participação, não "nos livra do mal".

Sim! Estarmos no mundo sem pertencermos a ele, não é justificativa para alienação, omissão e acomodação do Povo de Deus. Somos "chamados e escolhidos" para fazermos diferença como luz nas trevas e temperar o gosto amargo que há na boca do mundo, com o sal do Evangelho vivido em nossas vidas.

Se ainda não percebemos: não vivemos em uma Democracia pacífica, mas numa Ditadura da maldade. A religião deveria ser uma força libertadora que produzisse uma revolução amorosa com o testemunho da Graça na vida da Igreja invisível que forma o Corpo de Cristo na terra.

Acorda Povo! Estamos enfiados até os nossos "santos" pescoços em uma guerra que apesar de derramar sangue e esmagar as carnes, é cuidadosamente articulada por principados e potestades nas regiões celestes.

Façamos brilhar a nossa Luz no dia que convencionamos chamar de hoje. Não dê trégua ao inimigo, hein!

"Vós sois o sal da terra; mas se o sal se tornar insípido, com que se há de restaurar lhe o sabor? Para nada mais presta, senão para ser lançado fora, e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte; nem os que acendem uma candeia a colocam debaixo do alqueire, mas no velador, e assim ilumina a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus". (Evangelho de Mateus 5:13 - 16)

Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)


REFLETINDO OS DIAS ENQUANTO HÁ TEMPO

Refletindo o tempo e a brevidade dos dias do homem na dimensão terrena:

O pior de se envelhecer não é perder o frescor e o vigor da juventude por fora, mas é ficar velho e débil por dentro; isto frequentemente acontece com muita gente antes mesmo que cheguem a velhice.

Se dependesse apenas e tão somente da minha vontade, contrariaria o tempo que me resta e do qual não tenho a mínima ideia; permaneceria tão jovem quanto possível até que o meu coração parasse simplesmente de bater no meu peito.

Isto pode lhe parecer apenas estúpido agora que pareces ter o tempo todo a seu favor, porém irás perdendo esta impressão à medida que o mesmo tempo se transformar em seu opositor.

Preocupe-se um pouco menos hoje com o que vês de ti mesmo por fora, e invista em adquirir sabedoria, pois com o passar do tempo, será esta que sustentará os seus dias.

Já é muito tarde para o dia que chamamos de ontem; então: Bom Dia para este presente qual chamamos Hoje, tá bom?


Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

sexta-feira, 23 de maio de 2014

AMOR ABANDONADO


"Ao anjo da igreja em Éfeso escreve: Isto diz aquele que tem na sua destra as sete estrelas, que anda no meio dos sete candeeiros de ouro: Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua perseverança; sei que não podes suportar os maus, e que puseste à prova os que se dizem apóstolos e não o são, e os achaste mentirosos; e tens perseverança e por amor do meu nome sofreste, e não desfaleceste. Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, donde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; e se não, brevemente virei a ti, e removerei do seu lugar o teu candeeiro, se não te arrependeres.” (Apocalipse 2:1 - 5)

São já passados mais de 2000 anos do maior evento de todos os tempos. Desde que O Criador trouxe vida humana para habitar Sua genial criatura, a qual chamou Terra. Fazendo-se como um de nós na pessoa de Seu unigênito Filho, JESUS CRISTO, que por Sua vez, dividiu a eternidade em antes e depois Dele. Este evento abalou e transformou as dimensões visíveis tanto quanto as invisíveis, espirituais de modo sobrenatural e definitivamente mudou a maneira dos seres humanos se relacionarem com o Criador.

Aprouve a DEUS, nas profundezas da Sua própria Mente, reconciliar-se com a humanidade caída, através do sacrifício vicário do Seu amado Filho, uma grande parcela a qual previamente conheceu e antecipadamente escolheu para Si.

Por meio da pregação do Seu Filho, aqueles que O Pai havia escolhido no Seu Conselho Eterno, vieram a crer Nele, tendo se arrependido e recebido o perdão do Pai, justificados no sangue derramado na Cruz pelo Filho, receberam enfim o Seu selo da Promessa, que é O Espírito Santo, e assim confirmados para a Vida Eterna.

A História pós este Evento, conta a caminhada terrena de um povo separado pelo Amor do Pai, para testemunhar aos demais escolhidos o Seu Evangelho, por palavras e obras da Fé.

Em meio as perseguições, martírios e holocaustos humanos, este povo padeceu severamente nas gerações seguintes, por causa daquele Primeiro Amor com o qual receberam alegremente A Salvação. Faziam tudo com entusiasmo, com uma convicção espantosa que surpreendia os ímpios e intrigava os injustos que os buscavam aniquilar. Deram suas vidas como mártires anónimos, por uma causa gloriosa, testemunhando com suas vidas e com suas mortes, uma Fé inabalável, fervorosa, apaixonada e Viva.

São já passados mais de 2000 anos do maior evento de todos os tempos. E em que se transformou aquele fogo, aquele entusiasmo, aquela paixão pelo Primeiro Amor que moveu o Povo de Deus por mais de 20 séculos? Em que nós nos transformamos afinal? Teremos nos tornado em um rebanho disperso? Talvez nossos dogmas tenham suplantado o peso e o valor do Evangelho da Graça pelo qual temos sido chamados? Será?

Será que nos acomodamos, nos tornamos preguiçosos e indolentes em nossas certezas doutrinárias? Quem sabe por causa da aparente demora no cumprimento das profecias, dos sinais do fim dos tempos, entramos em um estado de apatia crônica? Será que as iniquidades de dentro das organizações, seus constantes escândalos, seus rituais monótonos, suas liturgias sem entusiasmo e verdadeira alegria na alma, contaminou até mesmo o remanescente fiel? Seria isto possível?

Quem sabe uma grande parte daqueles que amavam o Evangelho autêntico, enveredaram por um "novo evangelho", uma "nova revelação" mais apropriada para os "crentes" do século 21? Uma pregação mais humanista, mais identificada com os desejos humanos, mais pragmático, mais sensorial, economicamente mais interessante? Será?

Será que aquele Evangelho esvaziou-se de significados e se tornou inadequado para o presente século? Se a resposta para estes questionamentos não trazem nenhuma preocupação as nossas consciências e não mexe mais com os seus sentimentos, pode ser que você também esteja enquadrado na exortação do apóstolo João instigado pelo Espírito de Deus feito à igreja de Éfeso. Você tem abandonado seu Primeiro Amor, hein?

"Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca. Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças; e vestes brancas, para que te vistas, e não seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colírio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas. Eu repreendo e castigo a todos quantos amo: sê pois zeloso, e arrepende-te. Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo. Ao que vencer, eu lhe concederei que se assente comigo no meu trono". () Apocalipse 3:14 - 21

SENHOR!
Meu coração foi cativado pelo Teu espantoso Amor. Ele tem enchido o meu coração e a minha mente de entusiasmo pelo Teu Evangelho. O Teu Espírito Santo tem mantido minha alma aquecida e me feito caminhar com alegria o que o Senhor colocou em minha consciência em Fé. Mas peço Meu SENHOR, que não permitas que nenhum revés que venha novamente sobre a minha vida, que nenhuma frustração desta dimensão da existência, esvazie o meu propósito de Te seguir em serviço ao meu próximo e tampouco me faça abandonar aquela maravilhosa sensação na alma, experimentada pelo toque da Tua irresistível Graça. Peço isto com humildade, temor e tremor, e o faço em nome de Jesus. Amém!


Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

sábado, 10 de maio de 2014

O BURACO DA AGULHA

"E outra vez vos digo que é mais fácil um camelo passar pelo fundo duma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus." (Mt. 19:24)

Esta expressão usada por Jesus tem sido frequentemente utilizada para apoiar uma tese perversa de que Rico não entra no Céu. Imagina só uma pessoa leiga, uma criança por exemplo: ouve isto em algum sermão na sua igreja e fica tenso com esta limitação. Ela provavelmente tenha grandes sonhos, grandes projetos para a sua vida funcional. Ela, a criança, cresce acreditando que ser rico é pecado e que vai para o inferno se ganhar dinheiro honestamente como resultado da sua inteligência e esforço próprios. Esta crença preenche sua mente piedosa e na vida adulta, tende a se auto-sabotar,  impedindo-o a progredir, prosperar economicamente e se realizar profissionalmente. Afinal de contas, na sua mente traumatizada, assemelhar a entrada de um rico no Céu, com a passagem de um camelo pelo buraco de uma agulha é impossível. Logo, ser rico e acumular riqueza proveniente do seu esforço, é pecado e o levará ao inferno.

Todavia, JESUS nunca fez apologia a pobreza ou se utilizou desta frase, expressão com o significado de dizer que é impossível ao rico entrar no Céu de forma final e condenatória.

A expressão ilustra apenas a enorme dificuldade que é para uma pessoa rica, apegada as suas riquezas materiais, abrir mão do fascínio que a opulência proporcionada pelo dinheiro lhe gera na alma. Isto é o amor ao dinheiro, as riquezas da terra, a idolatria da fortuna.

Na verdade, JESUS ilustra com estas figuras que tinham significado concreto para os Judeus. A cidade de Jerusalém era protegida por grandes muralhas, de onde se abriam enormes portões. Estes portões permaneciam abertos durante o dia, em tempos de paz, e fechados às 6 da tarde. Por eles entravam caravanas com seus camelos carregados de mercadorias diversas e em caso de chegarem após os portões fechados, havia um acesso alternativo para a entrada dos camelos. Uma portinhola no fundo das muralhas, onde os camelos poderiam entrar, um a um, percorrendo um pequeno trecho de joelhos e sem carga nas costas. Este acesso era chamado de "agulha" face ser uma abertura minimamente suficiente para o camelo entrar nas condições já ditas.

O conceito que JESUS parece querer evidenciar aqui, é que apesar de ser exíguo, apertado, estreito o caminho para entrar na Cidade Santa, Jerusalém, era possível obedecendo ao comportamento, a atitude do camelo: humildemente de joelhos e sem levar nada de fora para dentro.

O problema não está na riqueza, mas no amor a ela que torna o homem rico, um idólatra, um prisioneiro, escravo do dinheiro. Todavia, junto com tais idolatras, não entrará muitos pobres soberbos, gente arrogante no Reino dos Céus.

"Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, será salvo; entrará e sairá, e achará pastagens. O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância." (João 10:9 - 10)

"Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;  e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz à vida, e poucos são os que a encontram." (Mateus 7:13 - 14)

A "PORTA PARA A VIDA ETERNA" permanece aberta para todos aqueles que recebem com alegria o convite para entrar por ELE. Ela no entanto, se fechará sem prévio aviso e quem estiver do lado de fora, não terá segunda chance, não terá um caminho alternativo para entrar, nenhuma "agulha".  Somente se lhe restará ao cair da noite, trevas e ranger de dentes, dor e sofrimentos para sempre.

Mas você que tem sido convidado insistentemente, não fará como um "camelo" atrasado, imprevidente, soberbo e apegado aos seus bens terrenos, não é? Até porque, esta é mais uma conduta de uma "anta" empacada, né não?

Quem tem ouvidos para ouvir: ouça!


Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

QUEM SABE DEUS SE ARREPENDA

Um vento estranho que vem das bandas do mar do velho continente, assopra uma mensagem não audível aos sentidos naturais dos homens, porém trás um assombro as percepções do espírito humano: "Não há Paz no mundo e não haverá até que se esgote a Fé, se esfrie o Amor, se anule a Esperança e venha sobre todos o Juízo do Altíssimo."

Não houvesse ainda na terra o eco de uma antiga profecia sobre esses dias que vive a nossa geração, até mesmo o povo escolhido se entregaria ao pavor, ao ranger de dentes e ao desespero que tal mensagem anuncia entre nós.

Esta profecia nos garante que por amor a Seus escolhidos, O Altíssimo abreviará aqueles dias de intensas aflições, pois não fosse assim, nenhuma carne sobreviveria ao final dos tempos.

Mas a todos que desprezaram os sucessivos toques na consciência, os constantes apelos do remanescente fiel, os constrangimentos do Espírito da Verdade, e com seus corações empedrados pela soberba, blasfemaram contra O Altíssimo, hão de sucumbir sem prévio aviso dos Céus, e deles não haverá mais nenhuma lembrança.

Arrependei-vos dos vossos maus caminhos para que, mediante a Misericórdia do Altíssimo, não sejais entregues ao esquecimento eterno.

Hoje é O Dia, pois o amanhã é incerto e trás consigo o desesperar das horas da agonia.

Lembrai-vos do profeta Jonas: quem tem ouvidos para ouvir que ouça.

"A notícia chegou também ao rei de Nínive; e ele se levantou do seu trono e, despindo-se do seu manto e cobrindo-se de saco, sentou-se sobre cinzas. E fez uma proclamação, e a publicou em Nínive, por decreto do rei e dos seus nobres, dizendo: Não provem coisa alguma nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas; não comam, nem bebam água; mas sejam cobertos de saco, tanto os homens como os animais, e clamem fortemente a Deus; e convertam-se, cada um do seu mau caminho, e da violência que há nas suas mãos. Quem sabe se se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos? Viu Deus o que fizeram, como se converteram do seu mau caminho, e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria, e não o fez." (Jonas 3: 6 - 10)

"Porque DEUS amou o mundo de tal maneira que deu Seu Único Filho para que todo aquele que Nele crer, não pereça mas tenha Vida Eterna."

Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

sexta-feira, 9 de maio de 2014

DÊ A VOLTA POR CIMA


"Muitas vezes ficamos aflitos, mas não somos derrotados. Algumas vezes ficamos em dúvida, mas nunca ficamos desesperados. Temos muitos inimigos, mas nunca nos falta um amigo. Às vezes somos gravemente feridos, mas não somos destruídos." (Apóstolo Paulo - II Cor. 4:8 - 9)

Pessoas resilientes têm a capacidade de dar a volta por cima; você é uma delas?

Frente a uma situação difícil, o que você faz: chora, foge ou enfrenta?

Pois é, há pessoas que além de ficarem e enfrentarem os problemas, ainda conseguem se beneficiar com eles, aprendendo e crescendo emocionalmente.

Essas são as pessoas resilientes.

O termo veio da física para designar a capacidade que alguns materiais têm de absorver impactos e retornar à forma original. Quando se trata do comportamento humano, a palavra significa a habilidade de lidar e superar as adversidades, transformando experiências negativas em aprendizado e oportunidade de mudança. Ou seja, "dar a volta por cima".

“Ser resiliente é ter a capacidade de enfrentar crises, traumas, perdas, graves adversidades, transformações, rupturas e desafios, elaborando as situações e recuperando-se diante delas".

(Paulo Yazig Sabbag, professor de gestão de projetos e gestão do conhecimento da Faculdade Getúlio Vargas-FGV, e presidente da Sabbag Consultoria)

No entanto, muitas vezes confunde-se resiliência com resistência - que são duas características diferentes:

"Uma pessoa resistente é aquela que: segura as pontas, resistindo a situações de pressão. Já uma pessoa resiliente, além de suportar a pressão, aprende com as dificuldades e os desafios, usando sua flexibilidade para se adaptar e sua criatividade para encontrar soluções alternativas"

(Ana Maria Rossi, presidente do Isma-BR, associação brasileira integrante da International Stress Management-ISMA, voltada à pesquisa e ao desenvolvimento da prevenção e do tratamento de estresse no mundo)

"Mesmo nas situações mais absurdas, dolorosas e desumanas, a vida tem um significado em potencial e, portanto até o sofrimento tem sentido".

(Vitor Frankl, neurologista e psiquiatra Austríaco, sobrevivente de Auschwitz)

"Por isso nunca ficamos desanimados. Mesmo que o nosso corpo vá se gastando, o nosso espírito vai se renovando dia a dia. E essa pequena e passageira aflição que sofremos vai nos trazer uma glória enorme e eterna, muito maior do que o sofrimento. Porque nós não prestamos atenção nas coisas que se veem, mas nas que não se veem. Pois o que pode ser visto dura apenas um pouco, mas o que não pode ser visto dura para sempre." (Apóstolo Paulo:II Cor. 4: 16 - 18)

(Textos extraídos de artigos sobre o tema, no Site UOL)

Você não está sozinho, acredite. Dê o seu melhor, tá bom? Dê a volta por cima!


Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

quinta-feira, 24 de abril de 2014

OS FINS JUSTIFICAM OS MEIOS

Esse é mais um daqueles sofismas que ardilosamente nos leva a pressupor que mentir, roubar, ludibriar, defraudar para um bem comum se justifica por si mesmo.

Este é um discurso recorrente, muito utilizado por gente que detém alguma autoridade sobre um grupo, do qual se apropria  dos recursos alegando aplicação em causas nobres e deles se beneficia em causas próprias.

"Um erro justifica outro erro".

Apesar de que aqui estão apresentadas propositalmente na afirmativa, para contrastar com a falsa suposição que na negativa se detém a prática, o efeito é o mesmo e nas duas formas as frases são sofismas na boca de quem quer se justificar dos erros ao invés de corrigi-los.

"Quem nunca pecou, atire a primeira pedra".

Insofismável afirmação que somente é Verdade absoluta na boca daquele que originalmente a proferiu. Ele conhecia o coração e os pensamentos daqueles que o punham a prova e por seu caráter santo, sem pecado, poderia fazer tal afirmação não sendo Ele próprio condenado por sua Verdade. Ninguém mais poder utilizar-se da mesma frase para tentar eximir-se ou justificar-se dos seus próprios erros. Ninguém!

E por fim, ELE ordenou a mulher adúltera: "Vá e não peques mais."

"O que faz com que os retos se desviem para um mau caminho, ele mesmo cairá na cova que abriu; mas os inocentes herdarão o bem." (Pv. 28:10)

"É esta a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e nele não há trevas nenhuma. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos nas trevas, mentimos, e não praticamos a verdade; mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado. Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.  Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós." (I João 1: 5 - 10)

"O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia. Feliz é o homem que teme ao Senhor continuamente; mas o que endurece o seu coração virá a cair no mal." (Pv. 28: 13 - 14)

Senhor! Tem misericórdia das nossas almas corrompidas pela vaidade e pelo orgulho. Retira dos nossos olhos o véu escuro que nos impede de ver o nosso próprio rosto desfigurado pelas iniquidades. Abra Senhor, as nossas percepções, amolece os nossos corações e esquadrinhando nossas mentes, nos aponte o que está oculto das nossas consciências.

Perdoa-nos. Acolhe-nos. Limpa-nos. Purifica-nos no sangue precioso do Cordeiro para que sejamos mais alvos do que a neve. Em nome de Jesus.

Amém.

Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

segunda-feira, 21 de abril de 2014

COMO ÁGUIAS LIVRES



"Há águias domesticadas que, embora, enxerguem longe, aliás, tem visão de 180 graus, mas, foram treinadas a não voarem além dos limites traçados por seus domesticadores."
(Carlos Bregantim)

A Verdade das Escrituras, não é nossa, mas sim "para nós"!

A Verdade não aprisiona as mentes aos rituais antigos e tampouco impõe novos e pesados fardos à mente dos homens. Pelo contrário, A Verdade liberta as consciências do império do pecado, da culpa, do medo, e das fábulas antigas.

A Verdade liberta a alma do cativeiro imposto pelo homem ao seu semelhante ao ampliar lhe as possibilidades que lhes é dada pela Fé.

A Verdade nos abre os espaços da consciência para alçar voos muito mais altos na amplitude celeste, onde O Espírito do Deus da Verdade nos deseja levar.

A Verdade não domestica o homem, mas liberta, salva, e transforma em cidadão do Reino dos Céus.

"Dizia, pois, Jesus aos judeus que nele creram: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." (João 8:31 - 32)

"Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres." (João 8:36)

Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

segunda-feira, 14 de abril de 2014

CIRCUNSTANCIALIDADES OU ESSENCIALIDADES

"O SENHOR nos guia no caminho em que devemos andar e protege aqueles cuja vida é agradável a ele. Se eles caírem, não ficarão caídos porque o SENHOR os ajudará a se levantarem. Fui moço e agora sou velho, mas nunca vi um homem bom abandonado por Deus e nunca vi os seus filhos mendigando comida. Ele sempre é generoso em dar e emprestar, e os seus filhos são uma bênção." (Sl. 37:23 - 26)

Não espere que as circunstâncias da vida satisfaçam todas as suas expectativas, para que então possas viver comodamente, confortavelmente a sua própria Vida.

Já somos adultos suficientemente maduros para sabermos que existem frustrações demais, decepções demais, obstáculos que a existência impõe, e que estão presentes, constantemente no nosso cotidiano.

Estas dificuldades não fazem parte da existência por simples obra do acaso. Mas estão ai para capacitarmos a extrair da vida os seus maiores e melhores valores.

Nós não temos a capacidade de mudar estas circunstâncias externas por vontade ou por força próprias. Não temos!

No entanto, existe uma maneira de mudança essencial que transforma a nossas percepções e o nosso modo de nos relacionarmos com a vida. Esta mudança se inicia em nós quando submetemos a nossa vontade a Vontade de DEUS.

Estando NELE, todas as coisas circunstanciais ou essenciais desta existência, concorrerão simultaneamente, cooperativamente para o nosso bem.

"Pois sabemos que todas as coisas trabalham juntas para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles a quem ele chamou de acordo com o seu plano." (Rm. 8:28) [...] "Diante de tudo isso, o que mais podemos dizer? Se Deus está do nosso lado, quem poderá nos vencer? Ninguém!" (Rm. 8:31) [...] "Então quem pode nos separar do amor de Cristo? Serão os sofrimentos, as dificuldades, a perseguição, a fome, a pobreza, o perigo ou a morte? Como dizem as Escrituras Sagradas: "Por causa de ti estamos em perigo de morte o dia inteiro; somos tratados como ovelhas que vão para o matadouro." Em todas essas situações temos a vitória completa por meio daquele que nos amou. Pois eu tenho a certeza de que nada pode nos separar do amor de Deus: nem a morte, nem a vida; nem os anjos, nem outras autoridades ou poderes celestiais; nem o presente, nem o futuro; nem o mundo lá de cima, nem o mundo lá de baixo. Em todo o Universo não há nada que possa nos separar do amor de Deus, que é nosso por meio de Cristo Jesus, o nosso Senhor." (Rm. 8:35 - 39)

Entrega Tua Vida, Teus sonhos, Tuas preocupações, Teus medos do dia e pavores da noite, Tuas esperanças a DEUS hoje mesmo, confia e ELE fará por Ti, tudo aquilo que sozinho não és capaz de fazer por Ti mesmo.

Beijão!


Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

quinta-feira, 3 de abril de 2014

MALTRAPILHOS NO CÉU

O Cristão dos nossos dias, recebe um bombardeio de informações tidas como espirituais, mas que se revelam em ensinos anti-bíblicos.

Os discursos, apesar de inflamados e veementes, falam das coisas do homem e o colocam no centro de tudo, abaixo apenas das organizações religiosas.

Há muito de tudo e cada vez menos Evangelho de Deus. Há pragmatismos demais, ritualismos demais, triunfalismos exagerados, misticismos, sensorialismos carnais, mercantilismos, "autoajudismos" e por ai vai.

Fora da moda e da "onda" que enche os recintos de culto, existem "casas", ambientes modestos, nem sempre confortáveis, sem mobiliário refinado e sem altares suntuosos, que abrigam e acolhem gente pequenina, esmagada na sua esperança, ludibriada por causa da sua fé e pouco conhecimento da Palavra, espoliadas na sua credulidade, machucadas, feridas em sua autoestima. E que adentram a Congregação dos Santos, como tivessem sido atropeladas pela vida.

A igreja então se torna para elas, um grande "pronto socorro" onde esperam receber muito mais que conhecimento das verdades Bíblicas, mas principalmente acolhimento, socorro, afeto, solidariedade, cura para as suas feridas e maltratos.

Então são expostas ao Evangelho da Graça de Deus, Revelação do Eterno para os homens, e pouco a pouco a Palavra vai entrando em suas almas, alterando suas percepções espirituais, sarando seus machucados e trazendo uma consciência absolutamente nova sobre o Cristianismo, além da ideologia histórica: O Cristianismo da Cruz de Cristo.

Na verdade, A Verdade sempre esteve neste fato: de que a Igreja reúne o povo rejeitado, vulnerável, enfermos, órfãos e viúvas, cegos, paralíticos e coxos, adulteras e maltrapilhos, desesperançados e infelizes.

No entanto, e para surpresa do mundo, é com esta gente pequenina que DEUS está construindo o seu Reino, transformando estas vidas desprezadas em cidadãos do Céu.

SENHOR!

Dou Graças a Ti porque não levou em conta os tempos em que andei na ignorância e o Teu olhar de Pai, estando permanentemente sobre minha vida, trouxe-me para debaixo das Tuas asas e me acolheu com terno eterno amor.

Aos que entendem: Haja paz no seu interior e sereno brilho no seu olhar;  integridade no seu viver e força no seu caminhar. (G. P. Ribeiro)

Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

sábado, 22 de março de 2014

ENTRINCHEIRADOS


Uma "guerra" espiritual nunca é "fria", é apenas insidiosa.  (G. P. Ribeiro)

Somos atraiçoados pela falsa sensação de que por estarmos entrincheirados na "casa de Deus" não seremos alvejados pelos "dardos inflamados do" nosso inimigo histórico.

Daí, tombamos pelos dardos venenosos lançados pelo "fogo amigo" que tal como nós, se entrincheirou em suas fortalezas de conforto e omissão.

Enquanto travamos batalhas por causa dos periféricos, dos acessórios, das doutrinas controversas construídas por gente como a gente, há almas sendo arrastadas para o lado do inimigo engrossando as fileiras para as quais fomos chamados para combater com o nosso testemunho de vida.

Estamos perdendo esta guerra por excesso de retórica e pura falta de combatividade, deixando o inimigo a vontade para zombar de nós.

Nossa pregação não ultrapassa as paredes caiadas dos templos, e as nossas vidas do lado de fora, não atraem a atenção dos caídos.

O que tem de errado acontecendo com a IGREJA DO SENHOR?

Sim! Algo muito errado acontece no meio de nós. Quer um palpite, hein? Vou dar assim mesmo, viu!

Falta AMOR ao Povo de Deus. Amor de verdade, fraterno, compassivo, que tem atitude e que faz, que serve, levanta, cura as feridas, e paga o preço de ser um escolhido.

Falta Amor ao próximo porque muitos estão preocupados, ocupados com teologismos de prosperidade material, barganhando bençãos em troca de dinheiro (ou será o contrário?), determinando, se servindo da credulidade de incautos, sem uma só Palavra de Evangelho na consciência anestesiada.

Será que passei perto do problema ou o "buraco" é mais embaixo?

"E por se multiplicarem as iniquidades, o Amor de muitos (maioria) se esfriará."

Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

quinta-feira, 20 de março de 2014

VOCÊ ESTÁ NO PONTO CERTO

"Clamo em lágrimas a ti, Senhor, lágrimas porque não posso falar. As palavras se perderam entre meus temores, dores, tristezas, perdas, mágoas, mas lágrimas. Tu entendes minha prece sem palavras. Tu ouves. Senhor, enxuga minhas lágrimas, todas as lágrimas, não em dia distante mas agora aqui."
(Joseph Bayly)

Dias tensos, tardes cheias de sombras entre seus sonhos e a luz do Sol. Noites longas, escuras sem o sono que repara, sem a Esperança que restabelece a confiança. Parece que não vais suportar, né não?

Mesmo tendo crido no Deus que tudo vê e tem o controle sobre todas as coisas, visíveis e invisíveis.

Crido que ELE se interpõe sobre o mal para que lhe sobrevenha o bem. Crido que não vem sobre os filhos maior prova do que eles possam suportar.

Crido que juntamente com todas as aflições Deus libera o seu livramento em hora e momento oportunos.

Ainda assim, seu espírito se sente esmagado por uma grande e pesada mão e de tal maneira sua alma é espremida, que sente seu ânimo, sua energia vital, sua esperança e até mesmo sua vontade de viver, escorrerem por entre os dedos daquela mão grande e pesada, cujo nome não é outro senão: culpa.

Bem... Você está no ponto certo agora mesmo! Este é o momento de reconhecer em você o seu próprio erro, arrepender-se, sinceramente pedir que Deus o perdoe mais uma vez, e Nele depositar essa culpa horrível que lhe enferma a alma.

Faça isto o quanto antes! Faça agora mesmo, viu! Não procrastine por mais um dia, vivendo com esta culpa que o impede de curtir os melhores dias da sua vida.

"Se confessarmos os nossos pecados, ELE é Fiel e Justo, para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda injustiça." (I João 1: 9)



Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)

quarta-feira, 12 de março de 2014

POLITICAMENTE CORRETO É UM PORRE, NÉ NÃO?

Tantos deveres, tanta preocupação em acertar tudo.

Tanto empenho em passar na vida sem errar...

Um esforço "hercúleo" todo santo dia para não frustrar, não decepcionar, não cometer nenhum ato falho, fazer tudo direitinho conforme o esperado, conforme um certo roteiro.

Aí a vida vai ficando sem tempero, chata, previsível, pasteurizada, morna, politicamente correta e existencialmente sem graça.

A gente acaba sendo "encaixotado" de tal maneira pelas convenções, pelos paradigmas forjados para nos manipular, pelas modas, tendências e estilos que escravizam a gente e tira de nós a espontaneidade, a sinceridade, a simplicidade, a autenticidade do falar e do agir. Aliás, o "Politicamente correto" é um "porre", não acha não, hein?

É tanto "não pode", é tanto "não deve", é tanta interferência, tantas "regrinhas" de etiqueta, tanta filigrana que deixa a gente atordoado e perdemos até mesmo o nosso jeitão espontâneo de nos comportarmos em um local ou outro.

Ficamos desconfortáveis dentro das nossas próprias calças.

Já se sentiu assim? Parece que alguma gafe, algum 'mico' estamos cometendo ou prestes a cometer, né não?

Tem tanta gente sentada em algum gabinete, algum escritório, ou até em algum boteco por aí, bolando novos roteiros, novos modelos para "encaixotar" as pessoas naquilo que se pode e daquilo que não se pode falar em sociedade, que se deve ou não vestir, onde se deve ou não ir, a música que está na moda e a que é brega. Além é claro, daquilo que se deve ou não acreditar. São alguns dos tais formadores de opinião. Quando querem, fazem da gente um laboratório para provarem suas "invenções". Aqueles que não se enquadram são "fora de moda", já os que se submetem ao roteiro, são "por dentro", seja lá o que isto quer dizer, né?

Um exemplo que ilustra um pouco esta coisa exagerada toda: um amigo meu comentou-me: Chamar seu melhor amigo  obeso de gordo é 'bullying'. Se ele é da raça negra, chama-lo de 'negão' é racismo e se ele for homossexual e chamá-lo de sua "biba véia" então? Preconceito, homofobia e outras coisinhas mais. Nesta situação, o politicamente ficaria grotesco, compara ele:

"Olá meu grande amigo "levemente fora do peso, idoso, afrodescendente com orientação homo afetiva... há quanto tempo, hein?"

Putz, fala sério, um tédio!

Sim, há exageros demais, controles demais, hipocrisias demais, não acha não?

No caso do tal "politicamente correto" em que a própria sociedade regula e cria modos de proteger as minorias (que já nem são tão minorias assim), de serem humilhadas, hostilizadas verbalmente e feridas em sua dignidade humana, acabou-se criando guetos de isolamento e em outros grupos, privilégios excessivos. Bom, deixa este assunto para os formadores de opinião, filósofos, sociólogos de plantão, né?

Mas e essa coisa então de não poder dar umas palmadinhas na bunda gorda do seu filho malcriado, hein? Já nascemos com duas almofadas prá quê? (rsrs...)

Frequentemente, a sociedade regula-se pelos maus exemplos e por causa dessas exceções que se enquadram é no código penal brasileiro, o cidadão de bem, o pai zeloso da educação dos seus rebentos, vira bandido, agressor de menor, e por aí vai. Estamos acuados, de pés e mão atados, criando outra geração sem educação, sem respeito, sem ética e valores morais, sem disciplina, sem afeto, desobediente, agressiva, mas para essa sociedade frouxa que quer compensar o fracasso na educação desta geração, agindo pelas "regrinhas e do politicamente correto", estamos "por dentro". Será mesmo, hein?

Particularmente eu acredito que para se aperfeiçoar a convivência em sociedade as pessoas não precisam ser iguais, pois ninguém é sequer semelhante ao outro. A imperfeição faz parte do ser humano e apenas e tão somente negá-la, é querer tapar o sol com uma imensa peneira, né não?

Uma rateada, um mico, uma gafe, são ingredientes hilários e temperam as relações interpessoais. Fazem parte do nosso cotidiano. Ainda bem que existem um remanescente politicamente incorreto, alguns filosoficamente transgressores, alguns comediantes, para animar e divertir a gente de vez em quando, né não?

Além de ser um "porre" na maioria das vezes, o politicamente correto também não contempla igualmente, democraticamente as críticas daqueles tais formadores de opinião, quando são cometidas por ricos ou pobres, já notou isto?

Se um rico ou famoso comete uma gafe, um ato falho, é porque é excêntrico e se contemporiza. Agora, se eu ou você tropeçamos nas regrinhas... "nóis tá na vala"!

Penso que se somos nós mesmos aqueles que sofrerão as consequências dos nossos atos por escolhermos e decidirmos o que, onde, como fazer as coisas do cotidiano, então por que sermos cobrados  por coisas "politicamente" certas criadas por outros quando elas dão errado ao final, hein? Já parou para pensar nisto?

Afinal de contas, esta sociedade não é perfeita. Nossos pais não são perfeitos. Nossa esposa, ou nosso esposo não são nada perfeitos. Nossos governos, nossos políticos estão longe de serem perfeitos. Os líderes, empresários, gestores, chefes e patrões não são perfeitos. Os formadores de opinião, educadores, religiosos não são perfeitos. Nossos filhos não são perfeitos,  tal como eu e você também não somos perfeitos, né?

Às vezes penso que a sociedade quer negar que os seres além de serem diferentes, ainda por cima são imperfeitos. "Errar é humano" dizem eles, não dizem? Ora bolas, então, VIVA as nossas diversidades, nossas imperfeições, nossa liberdade para escolhermos por nós mesmos, né não?

Acho ainda é que precisamos menos controle, menos hipocrisia, menos interferência, menos omissão, menos privilégio para poucos e mais tolerância, mais solidariedade, mais transparência, mais liberdade, mais fraternidade e amor. O que você acha disso tudo, hein?

Não espero seguidores e muito menos unanimidade, mas espero que as pessoas comecem a pensar menos pelos modelos e mais por suas próprias consciências.

OBA! Viva essa bagunça organizada que se chama gente!


Posso não saber onde piso, mas conheço o CAMINHO para chegar aonde quero; porque caminho NAQUELE que creio e não naquilo que vejo. (Gerson Palazzo)