quarta-feira, 18 de abril de 2007

Ei você ai...


Ei você aí ... sim você mesmo, por que o espanto?
Desperta-te da infiferença, tua apatia me irrita, tua preguiça me incomoda. Olha ao redor de tí e vê, à tua volta há alguém mais que você, existe quem precisa de tí. Não estás só onde pensas ser único. O planeta não gira ao redor do teu umbigo pois não és o centro do mundo. Teu egoísmo não te permite ver para fora de tí mesmo. Desperta de tua omissão e perceba a dôr das gentes que te cercam. Veja a carência dos carentes , o desespero dos desesperados, a aflição dos aflitos e a miséria dos miseráveis pelos quais passas sem notar.
Olhe para aquela criança logo alí na sarjeta cheirando cola, sim aquela menina de pele negra violada em sua infância, acuada e aviltada em becos escuros da metrópole insana. Olha aquela senhora idosa que mendiga por trocados e humilha-se perante os olhares vagos da indiferença dos abastados. Não há nobreza no teu gesto de dar o que te sobeja. Teu egocentrismo te aprisionana ante-sala do que é desumano. A falta do amor pelo seu mais próximo ninguém não te torna merecedor de ser alguém, ao contrário, só te transforma em algo. O que podes fazer então se agora não mais te orgulhas de seres oque és? Assim refletia eu mesmo olhando minha imagem no espelho, vendo em meu reflexo a ausência de compaixão "ais"alheios. Olhando meus próprios olhos, de forma intensa e constrangedora, me dei conta da insignificância da minha existência, do desperdício da minha vida mesquinha. Eu, ser humano, predador da minha própria espécie, aniquilador das esperanças dos fesafortunados, era o promotor da aflição dos desprovidos da oportunidade. O privilégio da abunância não me torna imune a miséria dos humildes, mas apenas um provedor da solidariedade. Assim somos eu e você, parceiros de um mesmo destino, afortunados oudesprovidos, dãos ou deficientes de saúde; passageiros do mesmo vôo. Somos complemento das diferenças e solidariamente partilhamos do mesmo todo. Contemplando meu reflexo me vejo refletido na tua face; irmão. Não somos tudo que podemos ser nem temos tudo que queremos ter, mas de tudo que somos e temos, somos e temos para dividir com aqueles que nem são e nem teem. Descubra-se um abençoador, não buscando tão somente o que te é próprio mas o que nos é comum; o amor ao próximo.
Gerson

Um comentário:

REI disse...

Fala Gerson, agora sim eu acredito nessa história de blog, já tava achando que era pasmacera.
Gostaria de parabenizá-lo pela fé, perseverança, e clareza de objetivos que vc tem demonstrado, dando uma grande lição à todos que estão preparados para recebê-la. Um forte abraço, e só pra não deixar em branco: vê se não esquece de fazer os exercícios. Nos encontramos na sexta-feira.
Juliano