quarta-feira, 7 de maio de 2008

COMO FALAR DE ALEGRIA?


 

Sabe...

Ultimamente tenho visto muito pouco TV.

Não dá prá ninguém ser feliz, ouvindo e vendo uma sucessão interminável de notícias ruins. Dá prá assistir?!Ah! Dá não, viu?!


 

Esse assunto da garotinha lançada da janela do seu quarto...

Cara é massacrante!!!


 

A gente liga a TV a qualquer hora, e tá lá. Não se fala de outra coisa.

No café-da-manhã. No almoço com a família. No chá-da-tarde das vovós.

No jantar á luz de candelabro-italiano. É o assunto da vez.

É outro Big Brother de muito mau gosto.


 

Parece que o país todo, está grudado na TV, aguardando a próxima entrada no ar, da Fátima Bernardes e da tropa de jornalistas, com entrevistas "bombásticas".

Com o taxista que passava na travessa ao lado, do fundo da moita, na hora do impacto do corpinho da Isabela... Ou aquela musiquinha de notícia extraordinária, para a grama amassada, do jardim, onde teria sido colhido o corpo da menina.

E debates, com especialistas.

Psicólogos e psiquiatras 'mutcholocos'.

Analistas forenses, avaliando e conjecturando, em cima dos laudos da polícia científica.

Gente! Que insanidade é essa?

Tem já criança que não pode ver o próprio pai, que chora apavorada.


 

Ah! Minha amiga. Sei que você é fissurada na novelinha das 8, que começa as 9, e sabe que quem acompanha o desfecho do capítulo de hoje, anseia pela continuação do próximo capítulo de amanhã... né não?!

Mas com a trágica história da Isabela... Ah! Dá licença hein?!


 

Tá duro de assistir, viu?!


 

Nem o fato do meu 'Palestra Italia', ter enfiado um chocolate sem dó, na Ponte Preta, e se sagrado campeão paulista pela 22ª vez, conseguiu me alegrar, pois enquanto mostram os "suinoscedores" comemorando, já ligam com as notícias do caso da garotinha morta e o sofrimento absurdo, que deve estar vivendo seus familiares. Agravado ainda mais, pela superexposição da mídia voraz.


 

Nem a catastrófica "aventura" simiesca do "fenômeno", hilária de tão estúpida, consegue aliviar esse mal estar, causado ao inconsciente coletivo. Tipo assim: Uma barbaridade!


 

Infelizmente, é isso aí! Notícia boa não dá nem meio ponto no Ibope.

Uma lástima.


 

É como se quisessem roubar de nós, a alegria e o júbilo, que enche nossa alma e de qual transborda o espírito, pelo milagre da vida; pelas bênçãos do existir. Pelas conquistas do bem e pela essência do amor revelado em JESUS. Só prá citar a "boa nova", que mudou a história da humanidade.


 

"Sim, grandes coisas fez o Senhor por nós, e por isso estamos alegres" (Salmos 126:3).


 

Acho que fiquei azedo, com essa exumação ao vivo, da miséria humana em que se tornou o homem, alijado da semelhança do Criador.

Sob a alegação de que o cidadão não pode ser privado da informação, que na essência é uma verdade, a gente vai engolindo toneladas de lixo e dejetos, excrementos lançados pelo homem natural; a criatura sem o amor do seu Criador.


 

Mas Graças a DEUS, algum "japonês criativo", inventou o controle-remoto... PLIC!


 

"Não porei coisa má diante dos meus olhos. Odeio a obra daqueles que se desviam; não se me pegará a mim." Salmo 101:3

Um comentário:

Eliana disse...

É realmente, também cheguei a esta conclusão televisão não, um livro, ouvir uma música bem melhor.
O menino arrastado pelas ruas, a menina atirada pela janela.Nossa!!!aonde vamos parar.Temos sentimentos isto dói demais.Que troca de valores absurdos...Eu me recuso a acreditar que pais façam isso com filhos, não entra em minha cabeça" sadia",que diz que pais foram feitos para acolher,dar carinho amor. ABSURDO..atrás de ABSURDO, Onde chegara os requintes da crueldade humana é inconcebível tais fatos. Resolvi a troca pela musica, pelo livro..é bem mais saudável...E que Deus,nos proteja destes males que estão acabando com a raça "humana"..abraços...